terça-feira, 28 de setembro de 2010

CAMARÕES GRELHADOS COM MOLHO CURRY E COUSCOUS DE ABOBRINHA



Camarões grelhados com molho de curry e couscous de abobrinha

Ingredientes
Para o camarão:
1 Kg de camarão VG
Suco de um limão
Sal
Pimenta do reino a gosto
2 dentes de alho picados
Azeite

Preparo
Descasque os camarões e reserve a casca e cabeças.Tempere com os ingredientes acima, menos o sal, de deixe descansar por 30 min. Antes de grelhar tempere com o sal. Grelhe em uma frigideira com um fio de azeite. Frite 2 min. de cada lado.
OBs.: O sal colocado no camarão com muita antecedência desidrata tornando o camarão borrachudo.

Para o molho:
Cascas e cabeças do camarão bem lavadas
1 cebola
1 alho porró
4 dentes de alho
Salsa e cebolinha
Louro
½ pimenta dedo de moça
½ copo de cachaça ou rum
2 colheres de extrato de tomate
1 xícara de creme de leite
2 colheres de café de curry
Azeite
2 colheres de sopa de manteiga
1 litro de água

Preparo
Em uma panela grande coloque um fio de azeite e doure as casca e as cabeças de camarão. Quando estiverem bem douradas, acrescente a cachaça, depois a água e coloque a cebola, o alho porró, o alho, o louro, a pimenta sem sementes, a salsa e a cebolinha. Deixe cozinhar por uma hora para reduzir bem. Com um martelo de carne amasse as cabeças para extrair bem o sumo. Coe e leve este líquido novamente para panela. Quando começar a ferver coloque o extrato de tomate, o curry e a manteiga, mexa bem para incorporar todos os ingredientes. Acrescente o creme de leite e deixe reduzir um pouco.

Para o couscous:
1 xícara de couscous
6 abobrinhas
½ cebola picada
2 dentes de alho picados
½ pimenta dedo de moça picada
Sal
Azeite
2 xícaras de água

Preparo
Lave as abobrinhas e corte ao meio. Com um boleador faça um copo na parte mais larga da abobrinha. Leve para cozinhar em água e sal por 10 min., deve ficar ao dente. Com uma faca corte a parte da casca(verde) da parte que sobrou das abobrinhas e pique em cubos bem pequenos. Em uma panela coloque um pouco de azeite e refogue a cebola, o alho, as abobrinhas e a pimenta. Desligue o fogo e acrescente o couscous e o sal, misture bem. Coloque a água quente, tampe de deixe descansar até o couscous absorver todo o líquido. Pegue os copos de abobrinhas passe um pouco de azeite e recheie com o couscous. Faça um corte na parte de baixo para que fiquem de pé. Em um prato coloque os copos de abobrinha recheados no centro, coloque o molho em volta e por cima os camarões. Sirva.


domingo, 26 de setembro de 2010

VOUL AU VENT DE BACALHAU


Aqui em casa eu uso muito os produtos da Arosa, massa folhada e massa filo. São práticas e não há a menor necessidade de você ter que preparar a massa em casa. Eu possuo sempre um pacote no freezer para qualquer eventualidade. Dá para fazer entradas, pratos principais e lanches - é uma mão na roda. As minhas filhas adoram, como lanche, rocambole de massa folhada. É só pegar o rolo, que já vem aberto, e rechear com presunto, mussarela, tomates, cebolas, oregano, fechar e assar. Muito prático e gostoso. Essa entrada foi feita com a massa folhada. O Voul au Vent, ai em cima da foto, pode ser feito com a massa em rolo - você mesmo corta os quadradinhos, dá muito mais trabalho mas é possível - ou você já compra eles prontos - um pouquinho mais caro mas muito mais prático! Depois é só fazer o recheio e servir. É uma entrada prática, gostosa e vistosa. Sucesso garantido para qualquer jantar. Pode ser servido sozinho ao acompanhando uma saladinha. Esse foi recheado com bacalhau mas você pode improvissar qualquer outro tipo de recheio da sua preferencia.

Preparo
1 caixa de massa de voul au vent
200gr de bacalhau cozido e desfiado
100 gr de manteiga
2 copos de leite
3 colheres de sopa de farinha de trigo
250 gr de champignons
250 gr de creme de leite
4 gemas
200 gr de queijo gruyere ralado
sal e pimenta do reino a gosto
ceboulletes para enfeitar

Preparo
Em uma panela doure a farinha na manteiga. Adicione, aos poucos, o leite mexendo sempre para não empelotar. Quando engrossar, retire a panela do fogo e acrescente as gemas, uma a uma, batendo bem em cada adição para ficar bem homogenêa e lisa. Acrescente o creme de leite e os cogumelos em fatias. Prove e tempere com sal e pimenta do reino. Torne a levar a panela ao fogo mexendo sem parar e retire assim que começar a ferver. Acrescente metade do queijo gruyere e misture. Misture nesse creme o bacalhau já cozido e desfiado. Em um tabuleiro untado coloque os voul au vent, pincele a massa com gema de ovo, se desejar. Leve ao forno até que fiquem cozidos - não deixe dourar demais pois eles ainda retornaram ao forno para gratinar o queijo do recheio. Recheie os Voul au Vent com o creme de bacalhau. Por cima coloque um pouco do queijo gruyere ralado que sobrou. Leve ao forno em um tabuleiro untado até derreter o queijo, ou gratinar se desejar. Sirva com salada de folhas verdes.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

ITÁLIA - VENEZA




Minha última postagem sobre a Itália foi sobre a vinícola Villa Sandi, no caminho para Veneza, então, continuando saímos logo depois do almoço da Vinícola Sandi rumo a Veneza, que fica na região do Vêneto, província de Veneza no nordeste de Itália. Que é conhecida pela sua história, canais, museus e monumentos. Quem nunca ouviu falar de Veneza?! Quem ainda não pela TV ou cinema seus canais?! Não sei se vale a pena falar muito sobre a historia de Veneza e os dados da cidade mas ela se estende-se por uma área de 412 km2, incluindo as ilhas de Murano, Burano e outras na lagoa de Veneza.



Chegamos às 3h da tarde e pegamos um barco-taxi super charmoso, de madeira envernizada e navegamos pelo Gran Canal. Fomos para um hotel perto da Praça São Marcos (Best Western Hotel Ala- San Marco, 2494- Campo S.M. del Giglio - 30124 Venezia(VE), Italia).

O hotel é como tudo em Veneza bem antigo (século XII) e os quartos tem uma vista linda.




A noite nós fomos jantar e nos perdemos, (Veneza é como um labirinto, facílimo se perder!) e sofremos para achar o restaurante (Baccaro Jazz) onde o teto e o bar é todo com soutiens pendurados de vários tipos e tamanhos. Vale uma visita.
Comemos pasta com vôngole - prato tradicional de Veneza. A comida não é muito gostosa mas vale pela decoração diferente.
No dia seguinte fomos dar uma volta e conhecer a praça de São Marcos e a catedral.



A Praça de São Marcos (em italiano: Piazza San Marco) é a única praça de Veneza, e o seu principal destino turístico, com muitos turistas e pombos! Acho que não há época em Veneza que esta praça não esteja lotada de gente - e de pombos!
Dizem que foi de Napoleão Bonaparte a autoria do epíteto de le plus élégant salon d'Europe (o salão mais belo da Europa). A piazza foi iniciada no século IX como área pequena frente à Basílica de São Marcos original. Foi estendida para a sua forma e tamanho atuais em 1177, quando o Rio Batario, que a limitava a oeste, e um porto que tinha isolado o Palácio Ducal da praça, se inundaram. A reestruturação foi realizada para o encontro do Papa Alexandre III com o Imperador Frederico Barba-Roxa, Não se pode deixar de tomar um drink ou mesmo tomar um sorveste em um dos bares dá Praça São Marcos - é imperdível!
Vá ao Florian que é um dos mais antigos e tome um Belline (pêssego com pêssego com prosecco) Uma das bebidas mais famosas da cidade.




A Basílica de São Marcos (Basilica di San Marco) é a mais famosa das igrejas de Veneza e um dos melhores exemplos da arquitetura bizantina e fica localizada na Praça de São Marcos ao lado do Palácio dos Doges. A igreja apresenta uma planta em cruz grega, baseada nos exemplos de Hagia Sophia e da Basílica dos Apóstolos, ambas em Constantinopla. Possui um coro elevado acima de uma cripta. A planta do interior consiste em três naves longitudinais e três transversais.



Um baldaquino cobre o altar principal, com colunas decoradas com relevos do século XI. O retábulo é a famosa Pala d´Oro - um trabalho em metal bizantino de 1105. Atrás do altar principal há um segundo altar com colunas de alabastro. Os cercados do coro, acima dos quais há três relevos de Sansovino, apresentam obra de marchetaria de Fra Sebastiano Schiavone.


Os dois púlpitos de mármore da nave são decorados com estatuetas dos irmãos Massegne (1394). A basílica foi consagrada em 1094, no mesmo ano em que o corpo de São Marcos foi supostamente reencontrado num pilar pelo Doge Vitale Falier.



A cripta passou então a abrigar as relíquias até 1811. O edifício também possui uma torre baixa, que alguns pensam ter integrado o Palácio dos Doges original. De lá nós fomos passeando até a Ponte de Rialto é a ponte em arco mais antiga e mais famosa sobre o Grande Canal, na cidade italiana de Veneza.



Ela foi formalmente a única ligação permanente entre os dois lados do Grande Canal, até abrirem as restantes travessias, lá existe várias lojinhas de lembranças, com vidros de Murano.

Depois fomos ao Palácio Ducal (Palazzo Ducale), também conhecido como Palácio do Doge, é um símbolo da cidade de Veneza e uma obra-prima do gótico veneziano. Surge na área monumental da Piazza San Marco entre a Piazzetta e o Molo.


O palácio atual foi construído entre 1309 e 1424. Antiga sede do Doge de Veneza e da magistratura veneziana, é hoje sede do Museo Civico di Palazzo Ducale.













segunda-feira, 20 de setembro de 2010

LINGUINE COM MOLHO DE CAMARÃO, BRIE E ALHO PORÓ


Ando numa fase alho poró. Quase tudo que eu faço tenho colocado esse vegetal que é tão saboroso e faz toda a diferença (pra mim) em qualquer prato. É na sopa, no molho, na carne, etc... não tem para ninguém, ele tem reinado absoluto na minha cozinha. O que tenho notado é que o alho poró subiu muito de preço, ha algum tempo atrás eu costumava pagar, no máximo, uns R$ 1,20 por cada unidade, aqui no Rio, atualmente já cheguei a ver a quase R$ 3,00 a unidade. Por mais gostoso que seja eu acho um roubo cobrar isso tudo! Outro dia fui no mercado e tinha cada um lindo, grandes e grossos, comprei logo 3 e deixei na geladeira. Como disse, tenho usado em tudo! Esse molho, da foto ai de cima, na verdade não leva alho poró na receita mas dei uma improvisada que, falando sério, não poderia ter sido melhor. A massinha de linguine foi feita em casa com o menor corte da minha máquina de macarrão - que a receita nós já demos aqui nesse blog várias vezes. O molho é simples mas fica maravilhoso. Uma massa com molho de camarão tem seu valor!

Ingredientes
200 gr de linguine feito em casa (Veja a receita aqui)
300 gr de camarão
1 alho poro
2 dentes de alho
1 copo de vinho branco
1/2 copo de conhaque
1 copo de caldo de vegumes
250 gr de queijo brie
2 colher de sopa de manteiga
sal e pimenta do reino branca a gosto
300 ml de creme de leite fresco

Preparo
Faça a massa de linguine e reserve. Limpe e tempere os camarões com um pouco de limão. Em uma panela em fogo baixo, derreta a manteiga. Jogue o queijo brie cortado em pedaços e mexa até que o queijo esteja todo derretido. Adicione o vinho branco e deixe reduzir um pouco. Adicione o caldo de legumes e pimenta do reino a gosto, e deixe reduzir um pouco. Por último adicione o creme de leite e deixe em fogo baixo. Em uma frigideira adicione um colher de manteiga e um pouco de azeite. Coloque os dentes de alho amassados e deixe dourar sem queimar. Adicione o alho poro cortado em rodelas bem finas e deixe refogar até que esteja macio. Adicione o camarão e deixe pegar cor, aproximadamente 2 minutos. Flambe com o conhaque e desligue o fogo. Coloque uma panela para ferver água e sal. Quando a água levantar fervura, coloque o macarrão e deixe por 3 minutos. Escorra. Coloque os camarões dentro do molho, acerte o sal e sirva sobre o linguine.


TORTA DE MORANGOS





Sabe aquelas tortinhas de morangos com gelatina que ficam em todas as vitrines de padarias e confeitarias? Aquele docinho tradicionalíssimo ? que a gente vê na padaria e fica com aquela tentação de comprar e comer? que colore o visual de qualquer bancada de doces? Pois eu adoro essas tortinhas e minha avó costumava faze-las para mim quando eu era mais nova. Fazia de morango e de maça mas eu gosto mesmo é a de morangos. Foi com ela que eu aprendi a fazer esse doce que enche os olhos. Aqui em casa essa torta não dura muito. Essa aqui eu fiz algumas adaptações, substitui a receita da massa tradicional pela massa do biscoito de fécula de batata que postei aqui há alguns dias atrás. Fiz essa experiência uma vez e nunca mais voltei a fazer a receita com a massa tradicional. A massa com a receita do biscoito fica muito mais gostosa e pode ficar na geladeira por alguns dias que continua crocante e consistente. Delícia! As vezes eu faço a receita em forminhas pequenas, como geralmente é encontrada nas padarias e confeitarias, mas dessa vez resolvi mesmo foi fazer uma torta grande, que durou pouco, mas foi muito mais prática e mais gostosa. A vantagem da forma grande é que voce acaba comendo muito mais recheio que as versões pequenas. E o recheio é de creme de confeiteiro que eu também adoro. Para quem não gosta de morangos, ou maças, essa receita pode ser coberta com qualquer tipo de fruta ou até mesmo uma versão com várias frutas. O que você tem que ver é que a gelatina que cobre a torta tem que combinar em sabor com a(s) fruta(s) utilizada(s). Eu so faço mesmo essa de morango que é a minha predileta e não há substituitos para ela no meu paladar.

Ingredientes
1 receita de massa de biscoito de fécula de batata (veja aqui)
1 caixa de morangos frescos limpos e lavados
1 caixa de gelatina sabor morango
Para o creme de confeiteiro
6 gemas
6 colheres de sopa de açucar
3 colheres de sopa rasas de amido de milho
2 xícaras de leite
baunilha
50gr de manteiga


Preparo
Prepare a gelatina conforme recomenda a embalagem e coloque na geladeira pois ela precisa estar com um pouco de consistência na hora de ser colocada sobre os morangos, se estiver aguada penetrará na massa e não ficará sobre a torta. Prepare a massa de fécula de batata conforme a receita e forre uma forma de torta, de fundo removível, de 30 cm de diâmetro. Coloque para assar a massa no forno pré-aquecido até que esteja firme e um pouco dourada. reserve. Enquanto a massa assa vá fazendo o creme de confeiteiro. Passe as gemas por uma peneira de plástico e bata com o açucar até obter uma mistura esbranquiçada, adicione o amido de milho e misture bem. Adicione gostas de essência de baunilha. Acrescente aos poucos o leite e misture bem. Leve ao fogo brando e cozinhe mexendo continuamente até engrossar, aproximadamente por 15 minutos. Retire do fogo e acrescente a manteiga misturando vigorosamente para emulsionar e dar brilho. Deixe esfriar um pouco. Quando a massa estiver assada, deixe esfriar um pouco. Coloque o creme de confeiteiro sobre a massa e espalhe de forma uniforme. Corte os morangos ao meio e cubra toda a superfície da torta. Não deixe nenhum pedaço de creme aparecendo. Quando a gelatina estiver tomando consistência, de forma que ela não esteja mais aguada e seja possível manipula-la com uma colher, cubra todos os morangos. Leve a geladeira para que a gelatina tome a consistência correta. Sirva.


quinta-feira, 16 de setembro de 2010

BISCOITO DE FÉCULA DE BATATA



Sabe aquelas expressões - sem parar, Bis, etc... que são usadas em vários produtos já existentes no mercado?! Então, esse biscoito é assim, você come o primeiro e não tem vontade de parar. O problema, para quem está sempre fazendo dieta, é que ele é super, hiper, calórico! Como quase todo amanteigado doce. Mas quando eu o conheci pela primeira vez, não tinha, ainda, essas preocupações. Esse biscoitinho me traz ótimas recordações da época em que tinha meus 18, 19 anos. Nessa época eu viajava muito, nas férias, para o interior do estado do Rio, mais especificamente para a cidade de Itaperuna, onde a família de uma grande amiga minha morava. Os pais dela moravam na cidade e possuiam fazendas de criação de gado na região. Íamos passar as férias por lá e era maravilhoso. Na casa dela quando chegavamos a noite, depois de um dia inteiro de diversão pelas cidades por perto ou pelas fazendas, a Zeni, que trabalhava na casa da mãe dela, sempre, sempre, tinha um pote enorme desses biscoitinhos para a gente comer a noite. Nooooossa! Era quase um pote por dia. Me lembro que íamos para o quarto ficar conversando e comendo biscoito até tarde da noite, ou melhor, até quase de manhã. Até hoje no meu livro de receita esta escrito "biscoito da Zeni". A receita é antiga, fácil e, como disse, uma delícia.
De uns tempos para cá passei a usá-la, também, como massa de algumas tortas. Fica muito bom pois mantém uma crocancia maior que as massas tradicionais.

Biscoito da Zeni

Ingredientes
2 xícaras de fécula de batata
2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de açucar
300 gr de claybom na temperatura ambiente

Preparo
Em uma vasilha misture todos os ingredientes. Quando a massa estiver homogênea, enrole e corte no formato desejado dos biscoitos. Coloque em uma assadeira untada e leve ao forno, em temepratura média, até que fiquem assados no fundo.
O tempo de forno varia de fogão para fogão. Eu prefiro os meus biscoitos mais clarinhos. Essa massa não doura com facilidade então verifique sempre o fundo do biscoito que doura mais rápido que a parte de cima.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

ITÁLIA - VINÍCOLA VILLA SANDI


Depois de uns dias sem falar sobre nossas viagens, hoje estou postando a visita a Vinícola Villa Sandi, ainda na Itália, uma das vinícolas mais bonitas e interessantes que conhecemos. Quando estavamos a caminho de Veneza passamos por ela para uma degustação de seus vinhos.



A propriedade é enorme e é composta por várias construções, uma área para recepção, outra com salões para receber visitantes e uma maravilhosa casa, que é conhecida como a Villa Sandi, que fica no centro da propriedade e é uma villa palaciana do século XVII que foi reformada e hoje abriga a sede da vinícola.



A estrutura da casa é de colunas neoclássicas e no seu interior é toda decorada com mobiliário antigo, tapetes exuberantes, lustres elegantes e peças clássicas de escultura italiana e da arte.


(construção que abriga a recepção da vinícola e vende produtos do local)

Toda a construção é rodeada por uma paisagem verdejante linda.



Abaixo desta opulenta villa, correm vários quilômetros de túneis subterrâneos que durante a I Guerra Mundial foram utilizados pelo exército Italiano como esconderijo e ligação com a cidade vizinha.


Atualmente esses túneis são o local de descanso de um milhão de garrafas de vinho. É incrível, você tem que conhecer!



Fizemos uma degustação bem interessante nesta vinícola de um vinho tinto, o Córpore. Este vinho é o topo de gama da vinícola, é um corte de 50% de Merlot e 50 % de carbenet Franc, de cor rubi intensa, complexo, com aromas de especiarias e geléia de framboesa e amora. Taninos redondos e finos. Produzido na região dos Treviso-veneto.



Também degustamos dois espumantes; o Prosecco Il Fresco, que é um espumante BRUT, com notas florais da região de Trevigiana I.G.T. e o Prosecco de Valdobbiadene DOC extra dry, classificado como um dos melhores do mundo. Possui uma cor cristalina, com um perlágio muito persistente. Espuma fina e duradoura com sabor elegante. Aromas de maça verde, pêssego e frutas exóticas.



Após a degustação fomos almoçar no restaurante da vinícola que fica nas colinas circundantes. Trevisan Villa Sandi é o lar de ambos os Estate Villa Sandi em Prosecco di Valdobbiadene, onde 10 hectares de vinha é cultivada.


No almoço foi servido uma entrada de frios feitos no local acompanhada de legumes no vinagre. Depois uma massa com cogumelos e por último uma polenta com berinjelas - delicioso.



De sobremesa foi servida uma sopa de frutas com sorvete. Todos os pratos foram acompanhados com os vinhos da vinícola e no final foi servido uma Grappa.
Villa Sandi - anote esse nome pois vale uma visita!


segunda-feira, 13 de setembro de 2010

ESPETINHO DE PEIXE E LEGUMES COM FAROFA DE ALCAPARRAS


Outra receita saudável e fácil para aqueles que gostam de comer bem. Nada mais fácil que enfiar alguns pedaços de peixe e legumes em um espetinho de churrasco, temperar e fritar/assar?! E olha que fica lindo e uma delícia. Essa receita, ou ídeia, pode ser feita tanto com o peixe quanto com carne ou frango. Aqui em casa eu faço muito o de carne, filé mingnon e frango. Minhas filhas adoram e você pode aproveitar pedaços de carne, linguiça, bacon... é sucesso na mesa garantido. A diferença é que o espetinho de frango ou o de carne, normalmente são feitos na frigideira, fritos, e esse de peixe é na assadeira, assado. Mais saudável e com menos sugeira! Use sua imaginação e coloque no espeto os legumes que tiver ou quiser. Quando faço de carne ou frango costumo usar sempre um pedaço de bacon que dá uma sabor maravilhoso no restante da carne. Bom proveito!

Espetinho de peixe e legumes com farofa de alcaparras
Ingredientes:
Para o espetinho:
1 kg de cubos de congro rosa
02 limões
Pimenta do reino
Sal
02 dentes de alho picados
500 ml de vinho branco
Azeite
02 folhas de louro
02 berinjelas cortadas em cubos grandes
02 tomates cortados em cubos
02 cebolas cortadas em cubos
02 pimentões cortados em cubos
Espetinhos de madeira para churrasco

Preparo
Tempere o peixe com o suco dos limões, sal, alho e a pimenta. Corte os legumes em cubos não muito grandes. Intercale no espetinho um cubo de peixe, um de cebola, pimentão, tomate e berinjela. Repita a operação até completar todo o espetinho. Em uma assadeira coloque um pouco de azeite no fundo e coloque os espetinhos, o louro, o vinho, um pouco mais de sal e pimenta do reino. Cubra a assadeira com papel de alumínio e leve ao forno pré-aquecido por cerca de 30 min.
Para a farofa:
Farinha de mandioca
100g de manteiga
100g de alcaparras
Duas colheres de colorau
Azeite
Sal

Preparo
Em uma frigideira coloque um pouco de azeite e a manteiga. Quando estiver derretida coloque as alcaparras de deixe fritar um pouco. Coloque o colorau, misture bem a vá acrescentando a farinha de mandioca, mexendo sempre para não grudar no fundo. Misture bem os ingredientes. Sirva acompanhada do espetinho de peixe.


quarta-feira, 8 de setembro de 2010

MEDALHÃO COM MOLHO DE GORGONZOLA E BATATA ROSTI





Sabe esses dias, geralmente nos finais de semana e feriados, que você chega em casa depois de passear ou ir a praia e não sabe o que vai fazer para almoçar? ou está totalmente sem vontade, ou criatividade, para pensar em qualquer coisa? ou mesmo naqueles dias que você não está nem tão afim assim de cozinhar?! Bom esse prato saiu em um desses dias, na verdade foi nesse feriadão de 7 de setembro. Sábado fez um dia lindo, ótimo para passear pelo Rio de Janeiro - a praia estava lotada, o Alto da Boa Vista com uma temperatura maravilhosa, fresquinha parecendo que você estava em qualquer outro local menos no Rio de Janeiro. Para quem não conhece eu aconselho fazer o trajeto da estrada que fica bem no meio do Alto, aquela que pega para a Vista Chinesa, seguir por ela e descer pelo Jardim Botânico. É lindo. O clima sempre é muito agradavel, bem diferente do calor escaldante que normalmente faz na cidade, na verdade olhando as casas que existem no local, a vegetação e sentindo o ventinho frio que vem da floresta, você simplesmente se transporta para qualquer outro lugar de serra fora do Rio. É uma opção de passeio muito legal para quem não tá muito afim de encarrar os engarrafamentos da praia e a procura por uma vaga para poder tomar um banho de mar. Outra opção bem legal, se você tiver tempo, é neste mesmo passeio dar uma caminhada pelas paineiras. O trajeto é de 4,8 km só ida, normalmente eu saio do Alto e caminho até a entrada do Corcovado - depois, é lógico, tem que voltar tudo! eu prefiro começar pela entrada do Alto porque é bem mais fácil de parar o carro, tem menos tumulto e nenhum flanelinha para ficar pedindo dinheiro - sabe que no Corcovado eles dominam! No verão as duchas das cachoeiras do Alto ficam uma delícia. Convite certo para banho, é programa para substituir a praia de vez em quando - muito bom, bem diferente, saudavel e depois tem aquela vista linda de deixar qualquer mortal de boca aberta vendo o Rio de Janeiro inteiro lá de cima - a lagoa, o Jardim Botânico, Copacabana, Ipanema, Leblom, a Gávea .... nossa é indescritivel. Quem não conhece tem que visitar! Bom, voltando a nossa receita, depois desse passeio todo cheguei em casa e não sabia o que fazer mas é que surgiu uma peça de filé mingnon no freezer, limpinha, cortadinha, pronta para ser degustada. Cutuca daqui, cutuca de lá e aparece um pedaço de queijo gorgonzola - que fica ótimo para um molho de acompanhamento com a carne e para não dar muito trabalho e não pensar muito - sai uma batata rosti de acompanhamento. Outro dia, aqui nesse blog, eu postei uma receita de batata rosti acompanhando um filé de peixe - essa aqui é um pouquinho diferente porque leva um pouco mais de ingredientes, por isso mesmo estou colocando a nova receita.

MEDALHÃO DE FILÉ COM MOLHO GORGONZOLA E BATATA ROSTI.

4 medalhões de filé mingnon
1 maço de tomilho
sal e pimenta do reino a gosto
manteiga
azeite
Para o Molho
50 gr de queijo gorgonzola
100 ml de caldo de carne
1/2 xícara de vinho branco
1 caixa de creme de leite
manteiga
Para a batata rosti
2 batatas grandes
bacon
queijo parmesão ralado no ralo grosso
sal e pimenta do reino a gosto
noz moscada
1 cebola
1 dente de alho

Preparo
Tempere os medalhões com o tomilho e a pimenta do reino e reserve. Coloque a batata para cozinhar, com casca, por 10 minutos. Enquanto a batata está cozinhando, corte a cebola em rodelas bem finas e o bacon bem picado. Em uma frigideira coloque o bacon para dourar. Quando o bacon estiver dourado, adicione a cebola e deixe ela dourar junto com o bacon. Quando a cebola estiver bem dourada, desligue o fogo e reserve. Quando retirar a batata do fogo escalde com água fria para interromper o cozimento. Rale a batata no ralo grosso. Em uma vasilha grande coloque a batata ralada, a mistura de bacon com cebola dourada, adicione o parmesão ralado no ralo grosso e tempere com sal, pimenta do reino e noz moscada. Em uma frigideira anti aderente coloque um aro para enformar a batata rosti. Pincele o fundo da frigideira com manteiga. Adicione a batata dentro do aro e com o auxílio de uma espatula ajeite a batata. Faça uma camada de, mais ou menos, dois dedos de batata. Deixe dourar bem de uma lado e depois vire para cozinhar o outro lado. Repita esta operação com o restante da batata.
Para o Molho
Em uma panela pequena derreta um pouco de manteiga. Adicione o queijo gorgonzola picado e mexa até derreter todo o queijo. Adicione o vinho e o caldo de carne. Deixe ferver. Quando estiver fervendo, adicione o creme de leite conforme desejar a consistência e a intensidade do sabor do queijo. Deixe ferver novamente e abaixe o fogo. Deixe reduzir até obter a consistência do molho desejada. Sirva.
Para o Medalhão
Em uma frigideira aqueça manteiga. Tempere dos medalhões com sal e frite-os.


SALMÃO DEFUMADO COM VINAGRETE DE BETERRABA


Essa receita é com salmão defumado e como nem sempre é fácil achar salmão defumado em supermercados, esse foi feito em casa com uma dessas panelas de cozimento no vapor. Existem várias panelas que permitem que você cozinhe os alimentos no vapor, desde as tradicionais cuzcuzeiras nordestinas até os utensilios da cozinha oriental mas se você não tiver nenhuma delas pode, ainda, improvisar esse cozimento com aquele velho escorredor de macarrão - desde que ele seja de inox ou aluminio, colocando ele sobre uma panela com água fervente ou com a fumaça conforme explicada aqui nessa receita. Bom, eu tenho uma dessas cuzcuzeiras que são fáceis de achar em lojas de panelas e são ótimas para fazer legumes no vapor, esquentar arroz e uma série de outras coisas além do próprio cuzcuz que dá o nome a panela. O salmão fresco pode ser comprado em um bom supermercado, hortifruti ou na peixaria, desde que seja com alguém de confiança que realmente vá lhe fornecer um produto de qualidade. Verifique sempre a consistência do peixe - que deve ser firme - e a cor da carne. Essa peça foi comprada no hortifruti e estava bem fresca.

Salmão defumado com vinagrete de beterraba
Ingredientes:
Para o salmão:
Um filé de salmão com pele e escamas
Limão
Pimenta do reino
Flor de sal
Ervas secas variadas (alecrim,tomilho, sálvia, hortelã, etc.)

Preparo
Pegue uma panela para cozimento a vapor. Forre um pote com papel alumínio e coloque as ervas dentro, coloque este pote no fundo da panela de cozimento ao vapor e coloque fogo. Quando estiver pegando fogo, abafe para formar fumaça. Coloque a parte de cima da panela com o filé de salmão cortado em postas de três dedos de espessura, temperados com limão e pimenta do reino. Tampe de deixe por cerca de 30 minutos na fumaça.

Para o vinagrete:
Três beterrabas pequenas
Açúcar
Um dente de alho
Azeite
½ copo de Vinagre

Preparo
Coloque as beterrabas com casca em uma panela com água para cozinhar. Adicione um pouco de açucar na água e deixe até ficar macia. Descasque e coloque no liquidificador com o vinagre, o alho e uma pitada de açúcar. Bata e vá colocando o azeite até formar uma pasta. Para servir coloque o vinagrete no fundo do prato e por cima coloque o salmão. Tempere com um pouco de flor de sal.


terça-feira, 7 de setembro de 2010

MOUSSE DE CHOCOLATE


Existem várias receitas de mousse de chocolate, essa receita é uma das mais gostosas que eu conheço. A mousse fica bem leve e aerada. Quem não gosta de mousse de chocolate. Você pode acrescentar nozes, passas ou qualquer outra coisa que goste que também fica muito bom. Eu gosto de acrescentar umas gotas de run. Pode ser acompanhada de sorvete, bolo ou frutas. Ela sozinha também é uma delícia. É prática e atende a qualquer paladar por isso é a escolha perfeita para aqueles dias que não sabemos exatamente o que fazer de sobremesa. Vale a pena tentar.

MOUSSE DE CHOCOLATE

Ingredientes
1 lata de creme de leite
160 gr de chocolate meio amargo picado
3 claras
3 colheres de sopa de açucar

Preparo
Leve ao fogo em banho-maria o creme de leite com o chocolate. Mexa até que fique completamente dissolvido e incorporado. Bata as claras em neve em ponto firme, adicione o açucar aos poucos e quando estiver tipo suspiro desligue a batedeira. Acrescente aos poucos o creme de leite com chocolate misturando delicadamente para não muchar as claras. Leve a geladeira até endurecer.
Essa receita é pequena.


domingo, 5 de setembro de 2010

PALETA DE CORDEIRO COM COUZCOUZ DE LEGUMES


Algumas pessoas tem resistência a provar carnes diferentes, ficam sempre na carne boi rejeitando qualquer outro tipo. A carne de cordeiro, que de uns tempos para cá vem se popularizando, talvez seja uma das mais gostosas entre essa variedade de opções que o mercado atual nos oferece. O único problema, que ainda vejo, são os preços - ainda é muito caro poder consumir essas variações da carne no nosso dia a dia. A paleta de cordeiro pode ser achada nos bons supermercados e possui um preço mais acessível que outros cortes.

Palheta de cordeiro com couzcouz de legumes

Ingredientes:
Para o cordeiro:
Uma palheta de cordeiro
01 cebola grande
05 dentes de alho
½ pimentão
750 ml de vinho branco
Um maço de tomilho
04 folhas de louro
01 pimenta de cheiro
Pimenta do reino
½ copo de azeite
Sal

Preparo
Coloque a palheta de cordeiro em um pirex e faça furos com uma faca em toda sua superfície. Coloque em um liquidificador todos os ingredientes e bata até formar um creme. Regue a palheta com todo o creme do tempero. Cubra e leve a geladeira por 12 h. Depois leve ao fogo baixo por 2h.

Para o couzcouz:
02 copos de couzcouz
03 copos de caldo de legume
1 cebola
1 pimentão vermelho (sem pele)
1 abobrinha
1 berinjela
1 cenoura
2 dentes de alho
Pimenta do reino
Sal
Azeite

Preparo
Pique bem fino todos os legumes (+/- 1mm). Em uma panela coloque um pouco de azeite e refogue os legumes por cerca de 10 min. Desligue o fogo e acrescente o couzcouz, mexa bem, regue com um pouco de azeite e coloque o caldo quente sobre o couzcouz, mexa um pouco, tempere com sal e pimenta. Tampe a panela e deixe descansar para absorver o caldo. Na hora de servir solte com um garfo.


quarta-feira, 1 de setembro de 2010

RISOTTO DE ARROZ RÁRIS


Essa receita é especialmente para aqueles que curtem arroz integral e suas variações. Para quem não conhece, ou nunca provou, o arroz ráris é uma delícia! não sabe o que esta perdendo. Ele é uma mistura de 7 cereais composta de (Arroz Integral, Arroz Selvagem, Trigo Integral, Aveia Integral, Cevada, Centeio e Triticale). Esse arroz além de saborosíssimo, concentra um tipo de carboidrato que auxilia no processo de emagrecimento, além de ser rico em fibras que estimulam o sistema gastrointestinal e aumentam o período de saciedade. Quanta coisa boa! Pode ser preparado em receitas de risotos, saladas e consumido também em substituição ao arroz branco nosso de cada dia.
Esse risotto é simples como qualquer outro risotto, é saboroso, é rico em fibras e pode ser servido como um único prato. Aproveitem!!!

Ingredientes:
2 copos de arroz Rariz
300 ml de vinho branco
1 cebola grande picada
2 dentes de alho picado
100 g de manteiga
500 ml de creme de leite fresco
1 alho porró cortados em rodelas finas
150 g de cogumelo shitake cortados em fatias
1 litro de caldo de legumes
100 gr de queijo parmesão ralado
Sal e pimenta do reino a gosto

PreparoEm uma panela coloque 50 g de manteiga e um fio de azeite. Refogue a cebola e o alho até a cebola ficar transparente. Acrescente o arroz (sem lavar) e refogue por alguns minutos. Coloque o vinho e cinco copos de caldo de legume. Deixe cozinhar até o arroz ficar “al dente”. Enquanto isso em uma friguideira refogue o alho porró e os cogumelos por cerca de cinco minutos, depois acrescente o creme de leite e deixe reduzir um pouco. Quando o arroz secar misture com o refogado de shitake e alho porró, desligue o fogo, coloque o restante da manteiga e o queijo ralado, mexendo para encorporar e formar um creme. Sirva com parmesão por cima.

FILÉ DE LINGUADO COM BATATA ROSTI


O linguado é um dos meus peixes preferidos, é saboroso e o filé, quando bem cortado, vem sem espinhas. A carne é branquinha e fica bom tanto no preparo assado quanto frito. Um peixe frito tem seu valor mas vamos falar sério - fritura em casa com cheiro de peixe??!! eu não gosto muito. Além do fato se ser bem mais calorico. Mas tivemos que nos render a esse prato! Eu aconselho comprar o filé de linguado em uma peixaria onde você tenha conhecimento do peixeiro que vai te atender, mesmo assim compre o peixe inteiro e peça para ele filetar na sua frente. É assim que fazemos aqui em casa e olha que mesmo assim, outro dia fui no mercado São João, em Niterói, comprar peixe. Escolhi meu linguado e pedi para o dono da banca filetar e quando cheguei em casa fiquei com a impressão, quase certa, que ele trocou o peixe depois de limpo. Eu não conhecia essa banca de peixe e nunca mais volto a comprar lá. Peixe na feira? muito dificil. No mercado? também é complicado. Talvez seja por isso que poucas pessoas comem peixe.

FILÉ DE LINGUADO COM BATATA ROSTI
Ingrediente:
Para batata rosti:
3 batatas grandes
óleo o quanto baste
sal e pimenta do reino, a gosto

Preparação:
Coloque as batatas com casca em uma panela com água e leve para cozinhar. Quando ferver, conte 6 minutos e retire-as da panela. Coloque as batatas numa tigela com água e gelo para cessar o cozimento. Escorra bem a água, descasque e rale as batatas na parte grossa do ralador. Tempere com sal e pimenta do reino. Leve uma frigideira antiaderente para aquecer. Acrescente um pouco de óleo, suficiente para não colar. Coloque a batata ralada e, com uma espátula, aperte as batatas, formando uma "panqueca". Deixe a batata fritar por 4 minutos ou até que o lado em contato com a frigideira esteja dourado, vire a panqueca para dourar o outro lado. Deixe fritar por mais 3 ou 4 minutos e retire.

Para o linguado:
1 k de filé de linguado
2 dentes de alho
1 limão
Sal e Pimenta do reino
azeite

Preparo:
Tempere os filés com o alho bem picado, o suco do limão, sal e pimenta. Deixe descansar por 20 min. Leve uma frigideira antiaderente para aquecer. Acrescente um pouco de azeite, suficiente para não colar, e grelhe os filés.

Para o molho:
100g de manteiga
Azeite
1xic. de champignon fatiado
½ xic. de alcaparras
Suco de ½ limão
Preparo:
Leve uma frigideira antiaderente para aquecer. Acrescente um pouco de azeite e a manteiga. Quando a mateiga estiver toda derretida, mas sem queimar, acrescente as alcaparras e o champignon. Depois o suco do limão e uma pitada de pimenta do reino. Prove e corrija o sal.

Para servir coloque a batata rosti no fundo do prato, o filé grelhado por cima e depois o molho. Rale um pouco de casa de limão siciliano pra perfumar. salpique salsa picada para enfeitar.